Em fevereiro de 2018, um temporal devastou diversos bairros do Rio de Janeiro e muitas famílias perderam tudo. Em abril de 2019, a tragédia se repetiu. Nos dois casos, mapeamos diversos pontos de coleta de doações pela cidade e, graças a nossa rede de solidariedade, muitas famílias puderam começar a reconstruir suas vidas.

NOSSA REDE DE
SOLIDARIEDADE CRESCEU!

Há séculos o Rio de Janeiro vira palco de alagamentos e inundações durante chuvas intensas. Em 2018 e, mais uma vez, em 2019, fortes temporais - somados ao descaso do poder público, que tem sido negligente com os gastos em prevenção - deixaram centenas de pessoas sem abrigo, sem água e sem luz.

A primeira edição da campanha Chuva de Solidariedade, em fevereiro de 2018, uniu pessoas que queriam doar a pessoas que cederam suas casas como pontos de coleta para essas doações. Mais de uma centena de voluntários e voluntárias contribuíram com a campanha doando móveis, colchões, alimentos, roupas e outros materiais para quatro comunidades: Acari, Manguinhos, Complexo do Alemão e Cidade de Deus.

Na chuva de abril de 2019, a história se repetiu: mapeamos diversos pontos de coleta de doações em toda a cidade e organizamos em uma lista única em nossas redes. A novidade foi o Meu Rio também fez este "match" via WhatsApp. Ali, as pessoas interessadas em fazer doações recebiam o endereço do local de coleta mais próximo de sua casa para facilitar o trâmite. Ao todo, foram 41 pontos de coleta de doações mapeados e mais de 3400 encaminhamentos feitos pela nossa campanha. O número de pessoas que receberam nossa ajuda é incontável!

Para receber os alertas de mobilização do Meu Rio, clique no botão abaixo e dê um “oi” pra nossa equipe:















Por que entramos nessa?

Acreditamos que mudanças estruturais nas políticas públicas precisam ser implementadas para que tragédias como as que vimos em 2018 e em 2019 não se repitam nos próximos anos. Por isso, o Meu Rio segue fiscalizando e pressionando o poder público municipal por uma cidade segura e preparada para fenômenos naturais, como a chuva. Mas também acreditamos na importância da solidariedade emergencial com quem mais sofreu com as chuvas. Continuaremos sempre atentos e prontos para reativar o serviço sempre que necessário :)